Fale com a gente
Clube Náutico

Politiquês

Pode ou não pode? Podemos! Partido recém reformulado em Marechal Rondon gera nova crise no MDB

A notícia da articulação de Juca junto ao Podemos caiu como uma bomba na executiva do MDB, fontes ligadas ao partido informam que o “pau cantou” no grupo de WhatsApp da provisória emedebista

Publicado

em

A polêmica se instalou após a vinda do ex-procurador da Lava Jato e pré-candidato a deputado federal Deltan Dallangnol, que esteve em Marechal Cândido Rondon no dia 23 de julho para homologar a nomeação da nova provisória do Podemos na cidade |FOTO: Montagem/Portal Rondon|
Academia Meu Espaço

Nós estamos às vesperas das próximas eleições gerais, faltando pouco mais de 15 dias para o início da campanha eleitoral para deputados federais, estaduais, senador, governador e presidente da república. As movimentações nos partidos políticos estão intensas, diversos encontros estão acontecendo e vão movimentando os bastidores da política rondonense.

Em alguns partidos da cidade o clima é de unidade, a exemplo do Progressistas (PP) onde as pré-candidaturas de Anderson Bento Maria (deputado estadual) e Dilceu Sperafico (deputado federal) são quase uma unanimidade, com exceção do vereador Arion Nasihgil (PP) e seu grupo que para deputado estadual já declarou apoio para Ademir Bier (MDB) e vai trabalhar com a deputada Leandre Dal Ponte (PSD) como segunda opção de voto para deputada federal.

Charles Pinturas

Já em outros partidos o clima é de tensão, o caso que mais tem mexido com os bastidores é o do MDB, que vive dias tensos desde a eleição do seu novo diretório em janeiro, que causou desconforto em algumas lideranças do partido e com o retorno de Ademir Bier nas fileiras da agremiação, acabou culminando com a nomeação de uma nova provisória do partido em maio.

Contextualizando…

O Vereador João Eduardo dos Santos (Juca), foi nomeado em maio como o novo presidente da provisória do MDB rondonense, essa nomeação fez com que a eleição realizada em janeiro e que reelegeu Josoé Pedralli para o comando do partido fosse invalidada, mesmo sem motivos legais concretos, um “canetasso” do diretório estadual, que fez a opção pela nomeação do jovem vereador rondonense.

Pedralli por sua vez nunca contestou publicamente a decisão e segue trabalhando na assessoria do Deputado Federal Sergio Souza, principal candidato do MDB a câmara federal em Marechal Rondon, porém não é o único, tendo em vista que Ademir Bier tem uma parceria histórica com Dilceu Sperafico e essa dobrada deve acontecer e envolver parte do MDB.

Bier e Pedralli juntos?

Ademir Bier mais uma vez está colocando seu nome a disposição dos rondonenses e da comunidade do Oeste do Paraná, entretanto, Bier encara problemas dentro do próprio MDB, o “canetasso” que tirou Josoé Pedralli da presidência do partido abriu uma ferida que não dá sinais de cicatrização, publicamente Bier diz que contará com o apoio de Pedralli, entretanto nos bastidores a informação é que Pedralli rechaça qualquer possibilidade de apoio a Bier.

Os problemas não param por ai, Bier tem encarado dificuldade de juntar as lideranças do partido, apesar de ter apoio dos três vereadores eleitos e de alguns suplentes, a maior parte dos candidatos nas eleições de 2020 não aderiram a sua candidatura ainda, os casos mais emblemáticos são do primeiro suplente do MDB Robson Janke que se mantém em silêncio e do terceiro suplente Albenice Pinto que está na campanha do vice-prefeito de Toledo Ademar Dorfschmidt, que também é pré-candidato a deputado estadual.

Vamos mudar de crise? Podemos!

A mais nova crise do MDB não envolve os medalhões Bier e Pedralli, envolve diretamente o seu novo presidente e alguns companheiros que inicialmente foram escolhidos a dedo para fazer parte da executiva do maior partido em número de filiados de Marechal Cândido Rondon.

A polêmica se instalou após a vinda do ex-procurador da Lava Jato e pré-candidato a deputado federal Deltan Dallangnol, que esteve em Marechal Cândido Rondon no dia 23 de julho para homologar a nomeação da nova provisória do Podemos na cidade, que será liderada pelo jovem Dhieison Gruhn.

Quem esteve diretamente ligado a articulação da vinda do pré-candidato Deltan Dallagnol e a nomeação do partido foi o presidente do MDB, o vereador Juca. Dhieison é ligado politicamente ao vereador, para quem fez campanha em 2020 e recentemente também foi homenageado pelo presidente emedebista na câmara de vereadores.

O Podemos em Marechal Cândido Rondon tem como prioridade as pré-candidaturas de Deltan Dallagnol a deputado federal e Olavo Santos a deputado estadual.

A notícia da articulação de Juca junto ao Podemos caiu como uma bomba na executiva do MDB, fontes ligadas ao partido informam que o “pau cantou” no grupo de WhatsApp da provisória emedebista.

O principal questionamento é que parte da base da agremiação julga ser inaceitável que o presidente da sigla organize outro partido ou que simplesmente não filie as suas principais lideranças no MDB e por consequência ajude na articulação da campanha de outros pré-candidatos a deputado federal e estadual, o que prejudicaria diretamente as intenções eleitorais de Ademir Bier e Sergio Souza.

O MDB tem um encontro com os filiados marcado para amanhã, sábado (30), onde boa parte da militância estará reunida na associação do bairro Jardim Marechal, o encontro promete demonstrar a unidade partidária, mesmo que nos bastidores o clima seja de desconfiança e tensão.

Clube Náutico
Continue Lendo

Doce Arte
Doce Arte