Fale com a gente
Imobiliária Maurício Vazquez

Colunas

Como criar uma criança que consegue identificar melhor uma situação de abuso?

Maio laranja: educação com respeito é arma contra prevenção de abuso infantil

Publicado

em

colunista ale alexandra
Gramado Presentes

Oi! Hoje quero conversar com você sobre o Maio Laranja… O mês termina hoje, e a campanha também, mas sempre é importante lembrar que a educação com respeito é a arma contra a prevenção de abuso infantil.

Crianças também são seres humanos. Pode parecer óbvio, mas acredite, não é. Nossa sociedade é por muitas vezes “adultocentrista”, ou seja, tudo gira em torno das vontades e demandas dos adultos. Muitos esquecem que crianças também têm seus desejos, suas opiniões, seus limites.

Dr Rodrigo Dentista

É comum ouvirmos que criança não tem vez, tem que obedecer calado e pronto. Mas o que isso tem a ver com a campanha contra o abuso infantil? Tudo!

Uma criança que é criada com respeito pelos pais e é respeitada pelos familiares e demais pessoas com quem convive consegue identificar melhor uma situação de abuso. Vou te dar um exemplo: você já viu uma família que chega em algum lugar e os pais obrigam a criança a dar beijo e abraço em todo mundo com a justificativa de que isso é ser educado? Mesmo que a criança não esteja se sentindo à vontade, é obrigada a beijar ou receber beijos de pessoas que pouco convivem ou muitas vezes são estranhas. Atitudes pequenas e comuns como essa podem, aos poucos, fazer com que a criança se “acostume” a ter seus limites desrespeitos.

Uma criança que não sabe que pode exercer sua opinião dificilmente irá falar não quando um adulto tentar se aproximar com outras intenções.

Isso quer dizer que meu filho não deve ser obediente, então? É claro que não! Crianças precisam de limite, isso faz muito bem, mas precisamos repensar o modo com que queremos que eles nos obedeçam. Vamos focar lá na frente… Quero que meu filho seja uma pessoa realizada, que sabe falar não, que prioriza sua saúde, que sabe se impor quando precisa e é emocionalmente saudável ou quero que meu filho seja um adulto que fala sim pra tudo e pra todos, não sabe se impor e é infeliz com as consequências de suas escolhas?

Precisamos lembrar que a criança é um outro ser para além de nós, pais e mães. Cabe a nós orientar, ensinar, cuidar e proteger. É um direito dos nossos filhos terem espaço suficiente nessa relação para se sentirem seres únicos e respeitados. Se isso fez sentido pra você, faça um exercício: imagine em quais situações do dia a dia você pode fazer com o que eu seu filho se sinta mais respeitado.

Que a sua família possa experimentar viver à base do amor e respeito.

Até a próxima!

Imobiliária Maurício Vazquez
Continue Lendo

Doce Arte
Doce Arte