Fale com a gente
Desafio APAE

Hora do Investimento

Dividendos: uma das vantagens de ser sócio de boas empresas

Os dividendos são distribuídos de maneira proporcional aos acionistas

Publicado

em

Silveira institucional

Olá, amigos! Espero que estejam todos bem.

No artigo passado, falamos um pouco sobre como a diversificação impacta não somente a segurança como também a rentabilidade de sua carteira de investimentos. Hoje, iremos falar sobre algo que você provavelmente já ouviu, os famosos dividendos.

Dividendos nada mais são do que a distribuição obrigatória de parte dos lucros de uma empresa aos seus acionistas, porém somente são obrigadas a realizar essa distribuição empresas que estejam listadas em bolsa. Afinal, quando compramos uma ação estamos nos tornando sócios da empresa, tendo assim, direito a parte de seus lucros.

A obrigatoriedade na distribuição de dividendos vem de uma lei de 1976, que estipula um valor mínimo para a distribuição dos lucros, que é de 25% do lucro líquido caso a empresa tenha isso registrado em estatuto, ou de 50% caso não tenha estabelecido métricas menores em seu regime estatutário.

Os dividendos são distribuídos de maneira proporcional aos acionistas, quanto maior o número de ações que você possui, maior a quantidade de dividendos que receberá. O valor que irá receber também vai depender de quanto a empresa irá repartir de seus lucros, pois, como já citado, existe um valor mínimo, mas não um valor máximo. Agora você deve estar pensando: “poxa, vou buscar uma empresa que distribui 100% de seus lucros e receber muitos dividendos!”, mas vá com calma. Além de ser extremamente incomum, quando uma empresa distribui 100% de seus lucros, ela deixa de fazer reinvestimentos, que irão fazer a empresa crescer ainda mais e assim gerar mais dividendos.

Mas então, como encontrar boas pagadoras de dividendos? Para isso podemos utilizar alguns indicadores, como por exemplo, o dividend yield, um dos mais importantes para quem busca empresas com esse perfil. Ele indica os dividendos pagos por ação no último ano, divididos pelo preço desta, nos dando assim um rendimento percentual pago ao dono da ação através do repasse de dividendos. Mas, atenção! Ter unicamente um dividend yield alto não atesta que a empresa seja uma boa pagadora de dividendos. Por ser um indicador, ele é um auxiliar, que não deve ser usado de forma isolada.

O segundo indicador que gostamos de utilizar é o dividend payout. Definido pela própria empresa,  nos dá a porcentagem do lucro que será distribuído pela empresa. Uma empresa com um dividend payout baixo, pode ser uma empresa com potencial de crescimento, pois está reinvestindo seus lucros buscando crescer, pagando assim poucos dividendos. Porém, uma empresa com dividend payout alto, provavelmente já chegou em seu estágio mais maduro e pode não ter muitos caminhos de crescimento, decidindo assim, distribuir seus resultados com os acionistas.

Outro ponto que pode ser observado para escolher empresas voltadas para dividendos, é a previsibilidade de sua geração de caixa, pois, assim dificilmente a empresa trará surpresas na hora de repartir seus lucros com os investidores.

De posse das informações já expostas, alguns investidores chegam a viver apenas dos dividendos que recebem. Mas isso não é tão simples quanto parece, demanda estudo e muita, mas muita disciplina, afinal, para chegar a esse estágio você deve possuir um valor relevante investido. Entretanto, tudo começa com o primeiro passo, que nesse caso é a abertura de uma conta em uma corretora ou banco de investimentos, escolher boas empresas e investir.

Gostou do que os dividendos podem te proporcionar? Então estude, busque um profissional e comece a investir nessa, que é uma das melhores formas de renda passiva do mercado financeiro, lembrando também, que dividendos são isentos de imposto de renda.

Torres Di Maranello