Fale com a gente

Especial

Hoje (08), o maestro e violinista Jacob Brescianini completaria 100 anos

Ele mudou para Marechal Cândido Rondon em 1967 onde deixou seu legado de amor pela música e pela cultura

Publicado

em

Silveira institucional

Jacob Brescianini, foi um italiano que, durante seus 91 anos teve a música como objeto de alegria e paz. Ele nasceu dia 8 junho de 1921, em Palasolo, Província de Brescia, na Itália.

Incentivado pela mãe, Madalena, que era professora de música e filha de um maestro, Jacob se apaixonou pela música e, especialmente pelo violino quando ainda criança. Aprendeu a tocar o instrumento já aos cinco anos de idade, aos oito se apresentou no Anfiteatro de Bérgamo, que atualmente é só ruína.

Gramado Presentes

Junto com a família, Jacob mudou para o Brasil em 1934, quando tinha 13 anos de idade. Seus pais fixaram residência na cidade de Caçador, em Santa Catarina. Mais tarde, mudou-se para Concórdia. Em 1947, ajudou a fundar a Sociedade Artística Zequinha de Abreu, a inesquecível Banda Saza e, na sequência, o Conjunto Melódico Atlântida. Paralelo ao seu trabalho e às atividades, foi correspondente Consular da Itália onde apresentou um programa na Rádio Rural. Criou o conjunto Pan Americano de Ritmos apresentando-se no Paraguai, Argentina e Uruguai.

Em 1967 Jacob Brescianini mudou-se para Marechal Cândido Rondon a convite de Alfredo Nied e Afonso Diesel para trabalhar no FriRondon, o primeiro frigorífico rondonense. Brescianini tinha vasta experiência no ramo, pois, já havia trabalhado em vários frigoríficos de Santa Catarina e foi o primeiro funcionário contratado no FriRondon.

Brescianini foi fundamental para o crescimento do FriRondon, onde permaneceu por 20 anos, até que a partir do convite de um amigo, tocou seu violino em uma apresentação de circo e aí decidiu que realmente se dedicaria à música.

Professor de música, empresário e músico ensinou o instrumento para vários rondonenses que, hoje, inclusive, são profissionais da área. O artista também compôs músicas, uma delas, inclusive foi gravada pela orquestra Irmãos Montanari. Também escreveu peças teatrais.

No município rondonense, Jacob foi fundador da Banda Municipal de Quatro Pontes e participou da fundação da Acimacar (Associação Comercial e Industrial de Marechal Cândido Rondon). Após 1989, dedicou-se à sua escola de música “Academia de Música Sol Nascente”.

Na administração de Ademir Bier e Ariston Limberger (1993 a 1996), foi contratado para atuar no Centro Cultural Eloi Urnau como professor de música. Em outubro de 1995, ele obteve o registro da música “Se o mar falasse”, de sua autoria. Também fez dupla com o cantor Zeno Scherer (Scherinha).

Maestro Jacó Bresciannini com seu inseparável violino. Imagem: Ademir Herrmann

Jacob gravou três CDs, um 2003, outro em 2005 e o último em 2007. O músico rondonense foi convidado para inúmeras apresentações em diversas cidades do Paraná e em outros estados. 

Em Marechal Cândido Rondon, deixou seu legado de amor pela música, onde ministrou aula de violino e violão até os 90 anos, quando adoeceu ficando impossibilitado de lecionar.

O maestro e violinista, Jacob Brescianini, faleceu em 2013, de câncer. Ele foi sepultado em Curitiba (PR), onde estava residindo para tratamento médico. Ele foi casado com Luizita e teve dois filhos: Cecília Leonor e Ernani.

Em vida, o músico recebeu homenagens como o título de Cidadão Honorário de Marechal Cândido Rondon aos 89 anos, em 2010. Na ocasião, seus alunos e colegas de profissão apresentaram músicas, algumas de sua própria composição.

Título de Cidadão Honorário sendo repassado ao músico Jacob Brescianini, em 2010. Jacob acompanhado do vice-prefeito, Silvestre Cottica, o presidente da Câmara de Vereadores, Ito Dari Rannov e o vereador Albenice Pinto | FOTO: Vanderleia Kochepka

Jabob Brescianini também foi homenageado com o nome de uma rua.

Em 2019, representantes da área cultural rondonense decidiram homenagea-lo também com o Hall de entrada do Teatro Municipal Hedio Strey, que ainda está em construção.

Na época em que foi decidida a homenagem: Presidente da Câmara de Vereadores, Claudio Kohler (Claudinho) juntamente com a presidente do Conselho Municipal de Políticas Culturais, Lucinei Klein, o vice-presidente Sérgio Alexandre Alfonso, a conselheira Lurdes Confetti, a secretária municipal de Cultura, Márcia Veit, e a diretora da pasta Adriani Niederle

Hoje, 08 de junho de 2021, Jacob Brescianini faria 100 anos. Sua história e seus ensinamentos são lembrados com carinho na comunidade rondonense.

Portal Rondon

Rondomed
Continue Lendo

Giatto – Primeio Banner
Credivel