Fale com a gente
Auto Elétrica do João

Esporte

UFC: Thiago Marreta promete atuação agressiva contra Hill

Meio-pesado brasileiro acredita que precisa vencer americano Jamahal Hill na luta principal do UFC de sábado e depois ter mais uma vitória para pensar em disputar novamente o cinturão

Publicado

em

|Foto: Chris Unger/Zuffa LLC/Getty Images|
Martin Luther – Enem

Desde que perdeu a disputa pelo cinturão do meio-pesado (até 93kg) para Jon Jones em julho de 2019, Thiago Marreta fez uma cirurgia nos dois joelhos e tem tido dificuldade de emendar uma boa fase. Neste próximo sábado, o lutador carioca hoje radicado nos EUA tenta um novo recomeço. Ele enfrenta o americano em ascensão Jamahal Hill, em luta principal do card em Las Vegas.

Na entrevista exclusiva ao Combate na cidade, Marreta evita coloca todo o foco nesta próxima luta, mas não vê uma possível disputa de cinturão tão longe. O brasileiro é o atual número 6 do ranking, enquanto Hill é o 10° colocado.

Torres Di Maranello

– Acho que o primeiro passo é vencer essa luta, vencer de forma convincente, e aí acho que fazer uma próxima luta como um “title eliminator”. E aí vencendo uma próxima luta acho que já posso ir para uma disputa de cinturão de novo (…). É um desafio duro, como venho enfrentando com vários prospectos. Se você for ver as últimas lutas, só enfrento top 5, e isso é animador. Estou super motivado! E preciso mostrar serviço, me sinto pronto e sinto que essa é a hora.

Marreta, depois de se recuperar da cirurgia após a luta pelo título, emendou derrotas para Glover Teixeira e Aleksandar Rakic. Depois, venceu Johnny Walker numa luta morna e bastante criticada que terminou por pontos. E na última luta perdeu para Magomed Ankalaev. Do outro lado, Jamahal Hill vem de vitórias contra Jimmy Crute e Johnny Walker. O brasileiro sabe que um nocaute é bastante provável no fim de semana, mas lembra que muitos rivais mudam quando o enfrentam.

– A gente sempre espera isso, mas nunca sabemos. Vindo de nós dois, que somos lutadores agressivos e nocauteadores, tem tudo para a luta terminar num nocaute, mas a gente pega o histórico e muitos caras agressivos e nocauteadores quando lutam contra mim lutam com a regra debaixo do braço, mudam totalmente o jogo. Da minha parte podem esperar um Thiago Marreta diferente das lutas passadas, um Thiago Marreta agressivo e buscando acabar a luta. Mas não posso responder por ele.

O lutador de 38 anos, sete mais velho que Hill, preferiu também olhar para os méritos de Ankalaev para falar da derrota na luta anterior, apesar de admitir ter faltado mais atitude contra o russo – que venceu Anthony Smith no último sábado.

– Não queria dizer o que não fiz. Gosto mais de botar o mérito no meu oponente, acho que o Ankalaev fez uma boa luta. Você vê a última luta dele agora como foi agressivo, como partiu para o nocaute, e comigo fez uma luta mais estratégica, jogou para vencer com o livro debaixo do braço. Talvez tenha faltado mais atitude minha, mas não dá para tirar o mérito dele, fez um jogo bom. Ele é um meio-pesado que assim como eu é veloz, tem uma movimentação muito boa, é rápido, então fez o jogo certo. Faltou um pouquinho mais de atitude minha e infelizmente a vitória não veio.

Thiago Marreta também disse esperar que o cinturão meio-pesado seja colocado em jogo numa revanche entre o agora campeão Jiri Prochazka e o ex-dono do título Glover Teixeira.

– Foi um lutão! O Glover está de parabéns, mostrando que não tem nada a ver com idade, lutando de igual para igual com um garoto muito mais novo. Ele estava vencendo a luta, perdeu num detalhe nos segundos finais. Na minha opinião ele merece (a revanche), não tem o que questionar, ele merece essa revanche direta e ele não tem mais tempo também. Acho que o UFC deveria dar essa oportunidade para ele.

Gabi Store
Continue Lendo

Doce Arte
Doce Arte