Fale com a gente
Imobiliária Bom Negócio

Agronegócio

Multinacional anuncia ampliação no agro e florestal

Marca completa 100 anos e aposta em negócios digitais, máquinas florestais e avanço do agro

Publicado

em

|Foto: PixaBay|
Gramado Presentes

O ano de 2021 marca o centenário da multinacional japonesa Komatsu, fundada por Meitaro Takeuchi, que após o fim de uma mina de exploração de cobre na província de Ishikawa, em 1920, quis aproveitar a mão-de-obra qualificada na região.

Com origem na mineração a empresa também atua nos segmentos de construção e florestal. Fabrica equipamentos como tratores, caminhões, escavadeiras hidráulicas, carregadeiras de rodas e motoniveladoras. No Brasil está presente desde 1975 e a sede fica em Suzano (SP). Neste ano a unidade bateu o recorde de produção, alcançando cerca de 15% do total nacional.

Avisul

Para marcar os 100 anos a marca apresentou, em uma coletiva de imprensa, o seu Show Room Virtual. O espaço definido e programado em 360 graus, permite um passeio por produtos, história e contato com distribuidores, além de ser espaço de negócios e reuniões.

“Foi um projeto idealizado em 2020 e que começou a ser desenvolvido em maio deste ano. Este projeto está alinhado com a fundação da empresa que sempre buscou inovação tecnológica. Esse ambiente será um hub de conteúdo e relacionamento com quem desejar acessar a marca, inclusive com interação por aplicativos de mensagens ou e-mails”, explicou Chrystian Garcia, gerente de Desenvolvimento de Distribuidores & Marketing da Divisão de Equipamentos de Construção da Komatsu no Brasil.

A força da construção no agro

Com o crescimento exponencial da produção do agronegócio brasileiro, especialmente de grãos, com a safra 2021/22 projetada pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), em 289,8 milhões de toneladas, também avança o uso de máquinas de construção civil no campo.

Elas são usadas desde para obras de infraestrutura, como transporte de equipamentos pesados. Essa nova aplicação também é acompanhada pela marca, sendo que 30% das máquinas de construção hoje se destinam para agricultura. “É um setor que vem crescendo e demandando maquinas de construção, substituindo as agrícolas. A gente vem adaptando as estruturas para atender o agronegócio. É um dos segmentos foco do nosso desenvolvimento”, aponta Luciano do Amaral Rocha , vice-presidente executivo da Divisão de Equipamentos de Construção da Komatsu no Brasil.

Aposta no segmento florestal

O setor de florestas plantadas é um dos que mais avança no país e tem importante presença na economia. Segundo a Indústria Brasileira de Árvores (Ibá) o Brasil tem cerca de 9 milhões de hectares somente de eucaliptos e pinus. O cultivo comercial de árvores resulta em 5 mil produtos, desde madeira serrada, papel, celulose, pisos e painéis e carvão vegetal.  A receita total com exportações florestais no primeiro quadrimestre de 2021 foi US$ 620,276 milhões para um volume exportado de 1,723 milhão de toneladas. Hoje cerca de 90% de toda a madeira brasileira para fins industriais vem de florestas plantadas.

Por isso uma das apostas da marca é neste segmento. “Os investimentos são da ordem de R$ 54 bilhões até 2024 e isso impacta nas máquinas florestais. Numa expansão crescente fica claro que temos que dar um suporte a isso. Nossas vendas no segmento cresceram mais de 70% no último ano, focados em tecnologia e aliados com a sustentabilidade do setor”, reforça Carlos Borba, gerente geral de Marketing & Vendas da Komatsu Forest do Brasil.

Para o ano que vem está previsto o lançamento de um cabeçote harvester, com conceito diferente do que se usa no mercado. Ele usa um sistema de corte diferenciado da madeira destinada para celulose. “Reúne segurança de trabalho, menor custo de operação e tecnologia para descaque na primeira passada. Deve começar a ser produzido em série a partir de maio”, destaca Borba.

Cesar Tintas
Continue Lendo

Empório da Pizza – Cotação
Certo Imóveis – Janeiro 2022