Fale com a gente
Auto Elétrica do João

Geral

Escola Erico Veríssimo está com apenas uma torneira para suprir demandas que necessitam de água

Durante esta semana, duas comunidades escolares enviaram reclamações à redação do Portal Rondon sobre obras inacabadas

Publicado

em

FOTO: Fernando Nègre/ Portal Rondon
Ótica Esmeralda

A Escola Erico Veríssimo, de Marechal Cândido Rondon, está passando por reformas. Mas, o que é para ser uma coisa boa, tem preocupado a comunidade escolar, pois, as obras causaram vários transtornos. As crianças ficaram uma semana em casa devido à troca do telhado, entre os dias 11 e 15 de outubro. Há, ainda, a possibilidade das obras terem deixado a escola sem água.

Não tem água nos banheiros, nos bebedouros, nem na cozinha para fazer a merenda. Toda a estrutura da escola está sendo atendida por apenas uma torneira.

Gordinho o Suco – Meio

As “tias da cozinha” improvisaram uma mangueira nesta torneira para poder fazer o lanche das crianças e suprir as outras necessidades desta área.

A mangueira traz água da rua para suprir as necessidades da escola

Baldes estão à disposição da equipe de funcionários e dos alunos para que se possa dar a descarga no vaso quando alguém precisa utilizar o banheiro.

O álcool em gel tem sido o melhor amigo da higienização de todos no Erico Veríssimo, contou a coordenadora. Em meio à pandemia, com a necessidade de lavar as mãos frequentemente, não há água para suprir a demanda.

Diante dos relatos recebidos pelo Portal Rondon, nossa redação entrou em contato com a Secretaria de Educação de Marechal Cândido Rondon. O secretário Fernando Volpato disse que já foram enviados técnicos para verificar a situação e ainda não foi descoberto o problema. O secretário ainda contou à redação que hoje mesmo conversou com a equipe do SAAE para que ajudem nas investigações.

“Estamos procurando a causa desse problema. Um encanador foi até o local e também não conseguiu descobrir o que acontece. Sabemos que uma torneira que não é vinculada à caixa d’água está suprindo as demandas. Por isso, pedimos a ajuda do SAAE”.

Todas as medidas temporárias e improvisadas para higienização pessoal dos alunos, funcionários e da estrutura da escola estão sendo promovidas pela equipe escolar. A prefeitura não interviu nesse sentido, confirmou o secretário.

“Precisamos que o SAAE verifique se estes problemas estão ligados com o racionamento de água do bairro”, disse Fernando Volpato. “É uma suspeita que a falta de água seja consequência da obra, porém, não se pode afirmar”.

A suspensão das aulas devido à troca de telhado também foi comentada com o secretário. Ele disse que isso gerou uma notificação para a empresa. O fato aconteceu porque após um período de chuva a laje ficou alagada e não havia condições de trabalho no educandário. Então, conforme o secretário, as crianças ficaram três dias em aulas remotas no mês de Outubro até a empresa realizar a cobertura do telhado.

Esta obra deveria ter sido concluída em setembro de 2021. Mas, até agora, ela não foi finalizada.

“A empresa já foi notificada”, afirmou Fernando Volpato na ligação. “A obra já está com mais de 80% de sua totalidade concluída. Porém, de acordo com a empresa, alguns materiais estão em falta. Um segundo motivo para o atraso é que foram incluídos mais serviços na reforma”, explicou o secretário.

ESCOLA ANA PAULA

Outra situação que chegou ao Portal Rondon, nesta semana, foi referente à Escola Municipal do Bairro Ana Paula. Inclusive, o vereador Cleiton Freitag (Gordinho do Suco) foi acionado por pais de alunos que estão inconformados com as obras inacabadas da quadra poliesportiva do educandário.

Além das reclamações pela demora na conclusão da obra, os pais também denunciaram ao vereador que a quadra da escola tem sido utilizada por pessoas da região para o consumo de álcool e drogas, já que não há um portão ou barreira entre a rua e a quadra.

A redação do Portal Rondon aproveitou a oportunidade e também conversou sobre essa demanda com o secretário de Educação de Marechal Cândido Rondon, Fernando Volpato.

“Esta é uma quadra coberta, não é um ginásio. Por isso, ela é aberta. É preciso que a comunidade denuncie à Polícia quando presenciarem atos irregulares e a presença de pessoas que usam o espaço inadequadamente. Isso nos preocupa porque a estrutura pode ser danificada. Temos previsão de fazer muro ao redor da quadra em 2022 para aumentar a segurança das crianças, mas é outra preocupação porque mesmo assim, algumas pessoas entrarão lá e não será possível ver o que estão fazendo para interferir”.

A comunidade escolar ainda reclamou que, os vestiários recém construídos na quadra estão com infiltrações e isto acaba gerando mofos nas paredes e na laje da cobertura.

De acordo com o secretário, “o engenheiro já foi comunicado para que a empresa resolva o problema fazendo a manutenção do telhado”.

Um outro problema relatado é que, quando utilizada pelas crianças, a quadra oferece riscos físicos, pois, as bolas usadas nas aulas de Educação Física constantemente vão em direção à rua, comprometendo a integridade das crianças, que ao saírem das dependências da escola para pegar a bola acabam ficando sujeitas a se machucarem ou serem atropeladas pelos veículos que transitam na região. Em relação a isso, o secretário de Educação garantiu que a licitação de material esportivo foi feita nesta semana e as melhorias serão promovidas nos próximos dias. Nesta licitação, estão inclusas as redes de proteção para evitar que a bola seja lançada para a rua.

Por fim, os pais ainda reclamaram que, nos dias de chuva, a água acaba levando terra para dentro da quadra e isso impossibilita o uso da estrutura. Fernando Volpato comentou que, como choveu muito há alguns dias atrás, realmente entrou terra na quadra. Entretanto, a Secretaria de Viação e Obras já promoveu a lavagem. Agora, a Secretaria de Educação depende da disponibilidade de máquinas para retirar a terra em excesso, que está ao redor da quadra, evitando novos transtornos deste tipo.

Fernando Volpato garante que “por parte da empresa licitada, a obra está concluída. Agora, falta realizar a contrapartida da Prefeitura, que é a pintura e a instalação elétrica. E a tinta, inclusive, já está comprada”, finalizou ele.

MR. Kings Lava Car
Continue Lendo

Doce Arte
Doce Arte