Fale com a gente
Rondon Veículos

Geral

Legislativo rondonense entrega título de Cidadão Honorário ao pastor Vicente Mariano

A sessão solene ainda teve reflexão religiosa pelo pastor Perci Fontoura e louvor pelos dirigentes de congregações de Toledo

Publicado

em

|Foto: Divulgação|
Gramado Presentes

Em cerimônia ocorrida na noite desta sexta-feira (12), no auditório da Acimacar, o Poder Legislativo de Marechal Cândido Rondon entregou o título de Cidadão Honorário do Município ao pastor Vicente Mariano, da Igreja Evangélica Assembleia de Deus.

A cerimônia, que seguiu as normas de prevenção e combate ao COVID-19, reuniu cerca de cem convidados e autoridades. Entre elas os vereadores presidente Pedro Rauber, que conduziu a sessão solene, Dionir Luiz Briesch (Sargento Dionir), Arion Nasihgil, Cristiano Metzner (Suko), João Eduardo dos Santos (Juca) e Moacir Froehlich.

Avisul

Os prefeitos Marcio Rauber, de Marechal Cândido Rondon, e Beto Lunitti, de Toledo, também prestigiaram a cerimônia, assim como Walmor Mergener, ex-vereador e autor da homenagem.

Durante pronunciamento, o pastor Vicente Mariano se emocionou várias vezes. Um dos momentos marcantes foi a lembrança do início da atual pandemia, quando o Município decidiu instalar o Hospital de Campanha, no Centro de Eventos.

O homenageado recordou que, na ocasião, orou e profetizou que nenhum leito daquele hospital seria utilizado. Isso de fato aconteceu. Em outubro passado, após cerca de 18 meses, o Hospital de Campanha foi desativado sem precisar atender um único paciente.

Sobre a cidadania honorária Vicente Mariano disse que foi uma surpresa e agradeceu às autoridades e, principalmente, à população rondonense.

Pedro Rauber, Marcio Rauber e Walmor Mergener usaram a palavra para agradecer o trabalho realizado pelo pastor Vicente Mariano em favor da comunidade de Marechal Cândido Rondon. “Ele mora no nosso coração”, disse o presidente da Câmara de Vereadores.

A sessão solene ainda teve reflexão religiosa pelo pastor Perci Fontoura e louvor pelos dirigentes de congregações de Toledo, cidade onde Vicente Mariano reside e trabalha atualmente.

Biografia

Vicente Mariano chegou em Marechal Cândido Rondon em 2014. Durane o período em que atuou no município, a Igreja Assembleia de Deus ganhou dez novos templos.

O pastor casou em 27 de dezembro de 1986 com Elisa Mara de Oliveira Mariano. Os filhos do casal são Bruna Caroline e Lucas de Oliveira Mariano e neto se chama Pedro Rogerio.

O novo cidadão honorário rondonense é natural de Cambé, norte do Paraná, onde nasceu em 23 de junho de 1965. Ele é filho do casal Elias Mariano Netto (in memoriam) e Virgínia Claro Mariano.

Ainda criança, Vicente Mariano ajudava a família no trabalho na roça. Mas, com a forte geada em 1975 que atingiu o município de Lidianópolis, onde a família tinha um pequeno pedaço de terra plantado com café, mudaram-se para Londrina e, posteriormente para Cambé.

Ainda na adolescência, trabalhou como vendedor de picolé e, depois, em uma fábrica de móveis e também em uma funilaria. Já em 1983, começou a trabalhar em loja de tecidos e confecções. Assim, até 1995 trabalhou em outras empresas no ramo comercial.

Mesmo na infância, a Igreja sempre esteve presente na vida de Vicente Mariano. Sua primeira experiência ministerial foi em 1984, quando cursou Teologia Básica, liderou grupo de jovens, foi professor de Escolas Bíblicas e chegou ao cargo de segundo dirigente de uma importante Igreja em Cambé.

Antes de ser empossado pastor na Assembleia de Deus de Marechal Cândido Rondon, ainda atuou a serviço da Igreja em Londrina (onde assumiu como pastor titular pela primeira vez em 1996), e nas cidades de Guaíra, Umuarama e Altônia.

Com bacharel e licenciatura em Teologia e pós-graduação em Psicologia Pastoral, é juiz arbitral (conciliador).

Em dezembro de 2018 foi eleito segundo secretário da CIEADEP (Convenção das Igrejas Evangélicas Assembleia de Deus no Estado do Paraná), para um mandato de quatro anos.

Além disso, já atuou como presidente do COPEM (Conselho de Pastores Evangélicos de Marechal Cândido Rondon) por três anos.

Gráfica Pontual
Continue Lendo

Doce Arte
Doce Arte