Fale com a gente
Desafio APAE

Agronegócio

Abatedouro ilegal com 1.200 aves é fechado pela polícia de MT

Delegada especializada em meio ambiente destaca que prática representa risco à sanidade das aves, podendo espalhar doenças como Newcastle

Publicado

em

Foto: Polícia Civil de Mato Grosso
Silveira institucional

Policiais Civis da Delegacia Especializada de Meio Ambiente (Dema) e agentes do Instituto de Defesa Agropecuária (Indea) fecharam na quarta-feira, 28, um abatedouro ilegal de aves em Várzea Grande (MT). O proprietário do local foi preso em flagrante.

A Dema recebeu uma denúncia de que um abatedouro para abate de aves estava em funcionamento na localidade e operava sem nenhum documento emitido pelos órgãos sanitários, como licença ou serviço de inspeção para a atividade.

De acordo com a delegada Liliane Murata Costa, no local foram encontradas 166 aves abatidas e 1.200 aves para abate. Todas foram entregues ao Indea que determinará os destino delas.

A delegada também requisitou perícia da Politec no local para coletar material referente aos crimes ambientais de poluição e maus tratos. O proprietário do abatedouro ilegal foi autuado em flagrante por diversos crimes previstos na legislação ambiental e de defesa do consumidor.

Ele responderá por causar poluição ambiental; atuar sem licença ou autorização dos órgãos ambientais competentes, ou contrariando as normas legais; vender, ter em depósito para vender ou expor à venda matéria-prima ou mercadoria, em condições impróprias ao consumo; fornecedores de bens de consumo duráveis ou não duráveis respondem solidariamente pelos vícios de qualidade que os tornem impróprios ao consumo.abatedouro ilegal de aves 3

Foto: Polícia Civil de Mato Grosso

Abatedouro ilegal representa risco à sanidade

A delegada da Dema esclarece que a falta de serviço de inspeção sanitária em locais que atuam com abate causa inúmeras doenças infectocontagiosas, entre elas a doença de Newcastle, que se dissemina rapidamente e atinge aves comerciais, silvestres e domésticas, com sinais respiratórios seguidos por manifestações nervosas e por diarreia e edema da cabeça.

O vírus da Newcastle está presente no ar expirado pelas aves, em fezes, ovos das aves doentes e em toda a carcaça da ave. A transmissão se dá por meio da ingestão de água e alimentos contaminados.

Com informações de Canal Rural

Primeiro Banner
Continue Lendo