Fale com a gente
Rondon Veículos

Educação

Professor rondonense Armin Feiden está na lista dos cientistas mais influentes do mundo da AD Scientific Index

Atualmente Armin feiden é professor associado da Universidade Estadual do Oeste do Paraná e tem experiência na área de agronomia e zootecnia, com ênfase em meio ambiente e energia na agricultura

Publicado

em

|Foto: Divulgação|
Martin Luther – Enem

A AD Scientific Index o Ranking for Scientist – World Scientist and University Rankings 2021 divulgou a lista com o nome dos cientistas mais influentes no Mundo e a Universidade Estadual do Oeste do Paraná está representada com a citação de 101 professores pesquisadores.

No total foram citados nesta lista 707.846 cientistas de 204 países em 13.466 universidades.

Kyuu – Dia do Namorados

Entre os cientistas citados no ranking está a professora rondonense Dione Olesczuk Soutes e o professor Armin Feiden que desde 1995 leciona no campus de Marechal Cândido Rondon nos cursos de graduação em Agronomia e Zootecnia, e também nos programas de mestrado e doutorado em Engenharia de Energia na Agricultura, do campus de Cascavel, e no mestrado e doutorado em Desenvolvimento Rural Sustentável em Marechal Rondon.

Armin Feiden vê a citação no ranking da AD Scientific Index como resultado da maturidade da pesquisa cintífica na Unioeste, e manifesta intensa preocupação com futuro dos programas de pesquisa, principalmente pelos cortes nos recursos que financiam a produção científica no país.

“Vejo como o resultado da maturidade da pesquisa científica na Unioeste, centrada nos grupos de pesquisa e nos programas de pós-graduação. É o resultado de um trabalho de longo prazo, sistemático, de uma equipe de pesquisadores, incluindo docentes e discentes, orientadores e orientados e também colaboradores. Infelizmente os cortes nos recursos disponíveis para custear as pesquisas e a pós-graduação já estão afetando a conclusão de pesquisas em andamento e prejudicando o início de novas pesquisas, numa escala jamais vista no Brasil e a médio e longo prazo nossa instituição terá problemas para manter a continuidade da produtividade científica já consolidada nas últimas décadas”

Projetos

O professor explica que seus projetos de pesquisa estão vinculados a linhas de pesquisa de dois programas de pós-graduação.

No primeiro, em Engenharia de Energia na Agricultura, atua na linha de pesquisa em biocombustíveis, com projetos de pesquisa em produção de biogás e biometano a partir de biomassa residual de origem rural; utilização conjunta de biogás e energia fotovoltaica na área rural; produção de bioetanol a partir de resíduos do processamento de mandioca; cultivo da microalga Chlamydomonas reinhardtii em efluentes e águas residuárias da suinocultura para obtenção de biodiesel.

No segundo, em Desenvolvimento Rural Sustentável, trabalha na linha de pesquisa em inovações sócio-tecnológicas e ação extensionista, com projetos de pesquisa em: modelos para avaliação de políticas públicas no contexto do desenvolvimento rural sustentável; condicionantes da gestão ambiental no aproveitamento hídrico para abastecimento público; desafios na gestão sustentável de propriedades rurais agroecológicas; fatores que afetam a produção orgânica na região oeste do Paraná.

Currículo

Armin possuí graduação em Zootecnia pela Universidade Estadual de Maringá (1981), graduação em Agronomia pela Universidade Federal do Paraná (1986), mestrado em Engenharia Florestal (Conservação da Natureza) pela Universidade Federal do Paraná (1994) e doutorado em Agronomia (Energia na Agricultura) pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2001).

Atualmente é professor associado da Universidade Estadual do Oeste do Paraná e tem experiência na área de agronomia e zootecnia, com ênfase em meio ambiente e energia na agricultura, atuando principalmente nos seguintes temas: desenvolvimento rural sustentável, gestão ambiental em microbacias hidrográficas, energia de biomassa, biodigestores, biogás, bioetanol e biodiesel. É professor permanente no programa de mestrado e doutorado em Engenharia de Energia na Agricultura, desde de 2010, e no programa de mestrado e doutorado em Desenvolvimento Rural Sustentável, desde de 2012.

Portal Rondon com informações da Central de Notícias da Unioeste

Estácio
Continue Lendo

Doce Arte
Doce Arte