Fale com a gente

Policial e Trânsito

Marido de empresária rondonense desaparecida é preso; ele é suspeito de suposto homicídio [vídeo]

O marido disse que ela foi viajar com amigos, mas suas coisas estavam todas em casa

Publicado

em

Posto Tonin – Shell Box

A Polícia Civil de Marechal Cândido Rondon, através do delegado Rodrigo Baptista Santos, emitiu nesta quinta-feira (07), uma nota sobre a investigação do sumiço da empresária rondonense, Edna Storari.

No último dia 27 de setembro, a filha de Edna procurou a Polícia Civil relatando que sua mãe estava sumida há mais de uma semana.

Gramado Presentes

Diante do comparecimento da filha à delegacia, a Polícia foi até a casa da vítima, onde foi recebida pelo marido de Edna, que ainda não havia comunicado o desaparecimento dela, mas disse que estava indo naquele momento fazer um boletim de ocorrência. A equipe de policiais estranhou o fato.

Segundo o marido da rondonense desaparecida, ela havia viajado para o Paraguai com um casal de amigos de Guaíra. Ele disse que não conhecia os amigos, que ela não levou o celular e ainda pediu que ele formatasse o aparelho.

Mais estranho é que, na primeira divulgação sobre seu desaparecimento, feita pelo Portal Rondon, no dia 29 de setembro, as informações recebidas indicavam que Edna teria ido em uma missão da igreja. Entretanto, ninguém do grupo da igreja tinha conhecimento sobre essa possível missão.

Iniciaram-se as diligências e, na casa da vítima, surgiram as primeiras evidências de que a história apresentada não era verdadeira. As roupas, maquiagens e joias de Edna estavam todas no lugar. 

Com o avanço das investigações, a equipe da Polícia Civil descobriu que alguns dias após o sumiço de Edna, o marido começou ir na casa dos vizinhos pedindo para que todos apagassem as imagens de suas câmeras de segurança.

O inquérito foi sendo instruído, e a versão do marido ficou sem base verdadeira.

Após juntar todas as informações, o delegado ordenou que fosse feita a prisão temporária do marido de Edna. Agora, ele é investigado por um suposto crime de homicídio e fraude processual. Em depoimento, ele negou qualquer envolvimento com o desaparecimento dela e manteve sua versão inicial. O que se apurou até o momento, é de que o suposto crime bárbaro tenha sido motivado pelo fato da vítima ter pedido a separação. Confira a declaração do Delegado Rodrigo Baptista Santos da Polícia Civil de Marechal Cândido Rondon.

Este inquérito policial continua. O objetivo é localizar a vítima e finalizar o indiciamento do investigado.

banner espaço novo
Continue Lendo

Doce Arte
Certo Imóveis – Feirão