Fale com a gente
Clube Náutico

Esporte

Lamento de Danilo, raiva de Gabriel e indignação no vestiário: a reação do Botafogo ao empate com o Santos

Time sai com empate no fim do jogo e amarga a terceira colocação, depois de liderar por mais de 30 rodadas

Publicado

em

|Foto: André Durão / ge|
Imobiliária Maurício Vazquez

O Botafogo demonstrou após o empate em 1 a 1 com o Santos no último domingo a indignação que muitos torcedores gostariam de ver após tropeços. Os gritos de “vamos querer” e “lutar até o final” logo na chegada ao Nilton Santos parecem ter refletido na atitude de parte dos jogadores ao término da partida.

O volante Danilo Barbosa e o meia Gabriel Pires, ambos escalados como titulares no duelo, foram dois atletas que se abateram com o resultado. Após o gol, o meio-campista que marcou o gol que estava dando a vitória ao Glorioso se agachou no gramado, com nítido semblante de abatimento.

Funerária Alemão

Eleito Craque do Jogo, ele deu entrevista em tom de lamento e prestes a chorar por ter deixado a vitória escapar:

– É difícil até falar. Não é o primeiro jogo… É de uma forma contínua. Temos que ressaltar o bom desempenho da equipe. Jogamos de forma consciente. Foi um momento de descuido nosso. É ressaltar o espírito. Sei que é difícil, mas a caminhada continua. Se faltam três jogos, tem que acreditar. Só vamos deixar de acreditar quando acabar o campeonato – disse.

O meia Gabriel Pires, logo após o gol, arremessou um copo de água no chão, enquanto os demais jogadores ficaram com cara de incredulidade. Nos minutos finais, seguiu agitado no banco de reservas e reclamou com veemência em determinadas ações. No apito final, chutou uma das lixeiras no gramado e foi direto para o vestiário, sem falar com ninguém.

– A reação de indignação é o combustível que podemos passar o torcedor. A sensação para todos nós é que fizemos uma grande partida, muito próxima de uma partida sem mínimos erros, por isso que ficamos indignados. Mas temos que transformar isso em força de trabalho, mostrar que queremos voltar a vencer, senão vira teatral. Ninguém está satisfeito, ninguém está esperando uma luz divina cair para esperar que as coisas aconteçam – disse Tiago Nunes.

Sicredi
Continue Lendo

Doce Arte
Doce Arte