Fale com a gente
Desafio APAE

Covid-19

Cuidados ao fechar programas de intercâmbio durante a pandemia

Publicado

em

Silveira institucional

Muitos planos foram interrompidos com a pandemia do novo coronavírus em 2020. Inúmeras pessoas que tinham marcado de viajar ao exterior, por exemplo, optaram por mudar a rota e permanecer dentro da própria fronteira, seja por planejamento próprio ou por alguma restrição imposta pelo governo para evitar a contaminação pelo vírus.

Com a atual previsão de uma vacina segura para aplicação até o primeiro semestre de 2021, em conjunto com a queda no número de casos e reabertura de fronteiras em alguns territórios, muitos retomaram seus planos. Além dos tradicionais destinos de turismo, aqueles que desejavam realizar um intercâmbio também puderam sonhar novamente em fechar algum programa.

CUIDADOS AINDA SÃO NECESSÁRIOS

Mesmo com a esperança de um contexto potencialmente favorável à realização de um intercâmbio, é necessário relembrar que ainda vivemos um momento atípico e instável, que consequentemente revela várias incertezas também para o ano que está por vir.

Pensando nisso, selecionamos alguns cuidados valiosos que podem ser de grande ajuda na hora de considerar fechar um programa de intercâmbio durante o período da Covid-19, a fim de proporcionar mais segurança no planejamento da viagem – mesmo que ela ocorra apenas no pós-pandemia.

1. PLANEJE SUA VIAGEM

Pode parecer uma dica genérica, mas ela é, certamente, a chave para que o intercâmbio tenha o mínimo possível de surpresas. Planejar a viagem é essencial em qualquer outro contexto. Mas, especialmente durante a pandemia, é fundamental possuir um roteiro ou qualquer espécie de registro das etapas de seu intercâmbio e como ele será estruturado.

Na hora de fechar o pacote de viagem, ter uma ideia de quanto está apto a gastar e seus lugares de interesse agiliza e focaliza o processo de escolher o tipo de moradia, em qual cidade, considerando escolas e universidades de destino.

O planejamento deve incluir, além de preparações já esperadas de um intercâmbio regular, uma análise de protocolos e da situação do país para o qual você deseja ir. Se a vacina já for uma realidade, é provável que os países organizem-se para um controle dos estrangeiros que passam pela fronteira, requisitando algum registro de imunização, por exemplo.

Ao negociar com uma agência, vale questionar, ponderar e buscar alternativas que possam ser executadas em caso de algum imprevisto. A orientação é avaliar o custo-benefício dos pacotes, observando se aquilo faz sentido para o período em que vivemos, e se a agência considerada é de confiança para oferecer suporte em caso de algum problema.

2. REORGANIZE OS OBJETIVOS

Principalmente para aqueles que já estavam com o intercâmbio encaminhado de alguma forma antes da pandemia, um roteiro pode já ter sido estruturado com os objetivos, destinos e dinâmica desejada. Entretanto, é preciso considerar que o contexto social e econômico mundial foi amplamente modificado pelos efeitos da Covid-19 e, o que antes era viável para você, agora pode apresentar algum empecilho.

3. ANALISE O CENÁRIO ECONÔMICO

As moedas globais sofreram grandes oscilações durante o período pandêmico, variando de acordo com o número de casos da doença, com as posturas governamentais e com as medidas políticas e econômicas implantadas para tentar trazer algum tipo equilíbrio aos sistemas.

Se o intercâmbio aos Estados Unidos era plenamente executável há um ano, agora pode ser que a aumento do dólar turismo signifique mais gastos. Deve-se considerar a possibilidade de reorganizar os objetivos ou até mesmo o destino do intercâmbio, se necessário, e ponderar sobre essas modificações antes de fechar um pacote.

Mesmo que a viagem ocorra só em 2021, com a vacinação já em andamento, é preciso tomar cuidados e refletir sobre todos os possíveis cenários do período – sejam eles favoráveis ou não.

 


Por Isadora Noronha Pereira – Fala! Cásper

Oral Clin
Continue Lendo