Domingo, 20 de Outubro de 2019 Fale Conosco Redação: (45) 9.9801-2350

Líder na produção de pescados, Paraná sedia evento sobre o setor

PARANÁ | 18/09/2019 | 14:42 |
A abertura do International Fish Congress aconteceu nesta terça-feira (17), em Foz do Iguaçu, e contou com a presença do governador Carlos Massa Ratinho Junior. Para ele, investimentos na indústria de transformação alimentícia fará com que o Estado avance na produção de pescados. | Fotos: RODRIGO FELIX LEAL |
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O governador Carlos Massa Ratinho Junior participou nesta terça-feira (18) da abertura do International Fish Congress, que acontece em Foz do Iguaçu, no Oeste. O evento reúne toda a cadeia produtiva de pescados e conta com participantes de 12 países, como o Chile, Bolívia, Paraguai, Equador, Argentina e Uganda.

O Paraná lidera a cadeia nacional de pescados de cultivo desde 2016, alcançando a marca de 129.900 toneladas/ano em 2018. O Estado é responsável por 29,3% da produção total do País, seguido por São Paulo e Santa Catarina. “Eventos como este são importantes porque nos dá a oportunidade de aprender com o que está sendo feito em outras localidades para também ser introduzido aqui e mostra ao mundo que temos uma escala boa na produção de peixes de qualidade”, afirmou.

O Brasil possui potencial ainda inexplorado na produção de pescados, com condições de se tornar um grande produtor do mercado mundial. De acordo com o governador, o Paraná pode avançar no setor. “O Paraná é um grande produtor de alimentos, mas nosso desafio agora é industrializar a produção do campo, criar uma grande indústria de transformação de alimentos para fazer o peixe virar filé e abastecer o mundo com nossa produção”, disse.

CRESCIMENTO – A Secretaria de Estado da Agricultura e Abastecimento projeta crescimento de 20% na atividade neste ano, com a expectativa de chegar a 170 mil toneladas. As espécies de cativeiro mais comuns no Paraná são a carpa, jundiá, pacu, lambari e, sobretudo, tilápia, que representa cerca de 80% do volume. A piscicultura de água-doce é concentrada principalmente na região Oeste, que responde por 69% da produção. A produção paranaense não é exportada.

O secretário estadual da Agricultura e Abastecimento, Norberto Ortigara, reforçou a importância da realização do encontro internacional no Paraná. “Importante evento para o avanço dessa atividade que gera milhares de oportunidades”, afirmou. Segundo ele, o Paraná responde por 32% da produção de tilápias do Brasil, com mais de 125.000 toneladas por ano. “A relevância desta cultura permite novos investimentos na cadeia produtiva do peixe. Novos frigoríficos devem começar a operar em breve no Paraná”, destaca Ortigara.

O crescimento no setor se deve ao aumento na produtividade. Em algumas propriedades, passou de 4-6 toneladas por hectare para 15-20 toneladas/ha, com picos de até 35-50 toneladas por ciclo. Isso se deve ao incremento em tecnologia de produção, com aeração mecânica, alimentadores automáticos, biorremediadores e melhoria da genética e das rações.

CONSUMO – Dados da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) indicam que os brasileiros consomem menos peixe por ano do que a média mundial. São, em média, 10 kg por habitante/ano no País, contra 20 kg por habitante/ano no mundo. O consumo pelos brasileiros fica bem abaixo que o de carne bovina (40 kg), frango (42 kg) e suína (15 kg).

O mercado global da pesca movimenta cerca de US$ 160 bilhões por ano. O Brasil participa com menos de 2%. A produção de peixes cultivados no País atingiu 722.560 toneladas em 2018, com receita de cerca de R$ 5,6 bilhões.

TILÁPIA – A tendência mundial é que dentro de dois anos haja uma inversão e que a produção dos peixes de cultivo supere a de animais de captura. Nesse cenário, a tilápia ganhará ainda mais destaque.

No ano passado, foram produzidos cerca de 6 milhões de toneladas de tilápia mundialmente. O Brasil contribuiu com 400 mil toneladas, sendo que 123 mil toneladas foram produzidas no Paraná.

Com AEN

PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
INSCREVA-SE NA NOSSA NEWSLETTER E RECEBA AS PRINCIPAIS NOTÍCIAS POR E-MAIL
Siga nosso Insta e veja notícias em tempo real.