Domingo, 22 de Setembro de 2019 Fale Conosco Redação: (45) 9.9801-2350

Fla arranca empate com Inter no Beira-Rio e volta à semifinal após 35 anos.

Brasil | 29/08/2019 | 08:16 |
Flamengo 3 x 1 Internacional no placar agregado | Fotos: Reprodução / Divulgação |
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
O gol de Rodrigo Lindoso [com direito à revisão do VAR], aos 16 minutos da etapa final, deixou o Internacional a um tento de levar a disputa contra o Flamengo para os pênaltis. Aos 39, no entanto, Bruno Henrique serviu Gabigol, que decretou o 1 a 1, enterrou as esperanças rivais e deu início ao carnaval rubro-negro no Beira-Rio. Com o resultado, os cariocas avançaram à semifinal da Copa Libertadores, feito que o clube não atingia desde 1984, primeiro ano após a venda de Zico para a Udinese, da Itália. O Rubro-negro encara o Grêmio por um lugar na finalíssima.

Após o 2 a 0 conquistado no Maracanã, os flamenguistas foram para o abafa no início e desperdiçaram chances em série, especialmente com Gabigol. Atônito, o Inter só igualou as coisas na etapa final, quando Odair Hellmann mandou o time para a frente. E foi aproveitando esse desespero que nasceu o contra-ataque iniciado por Bruno Henrique para definir a partida.

Após a decisão, as equipes voltam suas atenções para a disputa do Brasileiro. O Colorado encara no sábado o Botafogo, 21h, em seu estádio. No domingo, o Fla recebe a visita do Palmeiras, às 16h, no Maracanã.

Quem foi bem: Marí soberano na zaga.

À medida que vai se entrosando com os companheiros, o Pablo Marí melhora seu desempenho. No Beira-Rio, o espanhol esteve bem no combate direto e também nas bolas aéreas. Com bom passe, ajudou o time a construir o jogo desde lá de trás. Seu companheiro em Porto Alegre, Rodrigo Caio também foi bem e levou vantagem no confronto com Guerrero.

Quem foi mal: Sobis perde a cabeça, reclama e não cria.

Rafael Sobis perdeu a cabeça em vários momentos do jogo. Brigou com o juiz, com adversários, reclamou de companheiros. Mas com a bola nos pés, o atacante pouco conseguiu contribuir com o time. Muito pilhado, pareceu não estar com os nervos no lugar durante a partida.

Salvador! Ex-Fla, Lomba brilha no Inter.

Cria do Flamengo, o goleiro Marcelo Lomba teve papel de destaque no Beira-Rio. Ante a artilharia pesada do rival, fez defesas difíceis e evitou que o Flamengo deixasse as coisas ainda mais difíceis para o lado vermelho. No início do jogo, cresceu para cima de Gabigol e fez uma defesa que parecia improvável. Ele ainda apareceu em chutes venenosos de Arrascaeta, Filipe Luís e Bruno Henrique.

Gabigol se redime.

Autor de 25 gols na temporada, o atacante Gabigol não justificava o apelido que lhe acompanha. Em um dos primeiros lances, Cuéllar achou o artilheiro no meio dos zagueiros. Cara a cara com Lomba, que conseguiu resvalar na bola, o atacante desperdiçou. Também na primeira etapa, desperdiçou outra chance ao tocar rente à trave colorada. Além de não ter marcado, desperdiçou bolas simples e tomou algumas decisões erradas. Mas o artilheiro apareceu. Aos 39 minutos da etapa final, Bruno Henrique puxou um contra-ataque, serviu o camisa 9, que empurrou para o gol vazio e selou o empate.

Colorado tenta novidade, mas volta atrás.

O Internacional tentou mudar a forma de jogar para surpreender o Flamengo. Odair Hellmann começou o jogo com D'Alessandro centralizado, Patrick aberto pela esquerda e Sobis pela direita, segurando Edenilson e Rodrigo Lindoso para povoar o centro de campo e proteger a linha de defesa. Mas o trio de criação pouco produziu. Não deu certo e, com 15 minutos, o treinador abriu mão da novidade, colocou D'Ale pela direita, puxou Sobis para esquerda e refez o tripé central, dando mais liberdade a Edenilson. Mas ainda assim o time gaúcho foi controlado, só concluiu com algum perigo depois dos 30 minutos do primeiro tempo e por pouco não foi vazado. No segundo tempo, o Colorado tratou de empilhar jogadores de frente e passou a pressionar com as entradas de Nico López e Wellington Silva.

Fla se solta no início e recua.

Quem achou que o Flamengo ia "sentar" na vantagem após a vitória por 2 a 0 se surpreendeu com a postura dos rubro-negros, que começaram sufocando o adversário desde o primeiro minuto. Na primeira jogada da partida, Arrascaeta experimentou Marcelo Lomba, que teve de se desdobrar para manter as chances de uma vaga acesas. Com um time muito ofensivo, o Fla trocou a bola sempre em busca do gol. Não fosse Gabigol, que desperdiçou ainda no primeiro tempo as duas oportunidades mais claras, o time teria resolvido a parada logo no começo. Na etapa final, a equipe esperou um pouco demais o Inter e chamou o rival para o seu campo. Sem saída, a equipe se valeu de um contra-ataque que terminou em gol de Gabigol.

Fla pede VAR.

Logo aos 4 minutos de jogo, Arrascaeta chutou uma bola, que bateu na mão de Cuesta. Os jogadores do Fla pediram pênalti, mas o árbitro de vídeo recomendou que o jogo seguisse. O juiz foi com a decisão da cabine e mandou o jogo seguir.

Clima quente.

Em uma disputa de bola, Cuéllar e Sobis exageraram um pouco na dose de força e o clima ficou mais quente no campo. Uma confusão se formou entre rubro-negros e colorados, ma o juiz tratou de dar um amarelo para a dupla antes que a temperatura subisse demais.

Cronologia.

Com gol de cabeça de Rodrigo Lindoso, o Inter abriu o placar aos 16 minutos do segundo tempo. Aos 39, Gabigol deixou tudo igual.

Confusão do lado de fora.

Torcedores sem entradas para o jogo tentaram invadir o portão 7 do Beira-Rio com o jogo já em andamento. Após forçarem para entrar, eles foram impedidos pela Brigada Militar, que precisou agir com bombas de efeito moral. A confusão do lado de fora durou alguns minutos, mas logo se encerrou pela ação dos policiais. Não houve registro de detidos.

E do lado de dentro.

O Beira-Rio teve seu maior público após a reforma para Copa do Mundo de 2014. O jogo, no entanto, teve tentativa de invasão e arremesso de objetos. O problema aconteceu no gol do Flamengo, no segundo tempo. Os jogadores comemoraram atrás do gol defendido por Marcelo Lomba, e os torcedores entenderam como um ato de provocação e passaram a pressionar para pular a mureta e entrar no gramado. Um torcedor até conseguiu, mas foi recolocado no espaço reservado, mas outros passaram a forçar entrada. Com muita dificuldade, os seguranças conseguiram evitar o pior, mas houve arremesso de cadeiras para dentro do campo.

PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
INSCREVA-SE NA NOSSA NEWSLETTER E RECEBA AS PRINCIPAIS NOTÍCIAS POR E-MAIL
Siga nosso Insta e veja notícias em tempo real.